página principal  contacte-nos  '.HOME_ALT_LANG.'

 
 

Procurar:

por

  Agora pode. Veja mais aqui O seu carrinho está vazio

ver carrinho de compras

 
HomePromoçõesLivrosE-BooksAutoresNovidadesAjudaContactos
 
Detalhes
 


Angola e Dinheiro (3 ed. actual.)


Autor: Rui Verde
ISBN:
978-989-8325-38-9
Edição: Outubro/2014
Colecção: MAIS ACTUAL
Editora: RCP Edições

Stock: Esgotado
 
Ver mais detalhes:
° Introdução
° Índice
° Sobre o autor

Consulte
Excerto em PDF

 Formato: Livro em papel
 Páginas: 150
 Encadernação: Capa Mole
 Dimensões: 13,5 x 21cm
 Preço: €13.99

comprar

 
 

O caso do Banco Espírito Santo (BES) é o mais recente escândalo dos negócios entre Angola e Portugal. O debate sobre a transição do regime angolano está em cima da mesa, pelo que é cada vez mais premente reflectir sobre os protagonistas e as ameaças que pairam sobre os negócios multimilionários realizados por empresários de Portugal e Angola. 

"Angola e Dinheiro - Golpada no BES e a transição do regime" (3ª edição actualizada) identifica as consequências que decorrem da alteração do quadro político e institucional em Angola. 

A mudança de atitude do Estado angolano em relação à corrupção, aos eventuais desfalques nos seus cofres públicos e aos grandes interesses económico-financeiros colocam Portugal sob pressão.

De igual modo, o escrutínio em relação à origem do dinheiro que serviu para realizar vultuosos investimentos e a evolução de várias investigações judiciais, em curso nos dois países, podem abalar a economia e a Bolsa portuguesas. 

A pesquisa levada a cabo por Rui Verde, suportada por documentação institucional, bem como por diversos documentos oficiais que permitem caracterizar o modus operandi dos investidores angolanos, permite concluir, através do reconhecimento de um padrão económico-financeiro, repetido a propósito do enriquecimento das elites angolanas, que a família, as altas individualidades e os empresários que gravitam à volta do presidente da República de Angola adoptaram uma estratégia para tentar ficar a salvo dos riscos da transição do regime.

 
 
 
 

Fui um dos primeiros da nova vaga de portugueses a ir para a Angola. Por volta de 2000/2001 começou o estabelecimento da Universidade Independente em Angola.

Como viceReitor da instituição, em Lisboa, tomei um interesse particular no seu estabelecimento em Luanda e fui introduzido nos vários mecanismos de poder e finança então existentes.

Angola é bela e o seu povo fantástico, mas é um país adiado, enquanto não mudar o procedimento da elite dirigente.

O livro é fundamentado na minha experiência pessoal, académica e empresarial, bem como no conhecimento directo que tive de vários assuntos políticos, financeiros e empresariais angolanos. Também, é o resultado de sete anos de pesquisa sobre o tema. E assenta em larga medida em mais de 20 entrevistas que tive com altos funcionários do Estado, do Governo, dos serviços de informações de Angola e ainda com representantes de topo de Bancos angolanos e portugueses.

Procurei sempre fontes externas e independentes que confirmassem e explicassem as histórias que ouvi ou que conheço. De um modo geral, o que sei foi confirmado por fontes fidedignas, especialmente documentos de instituições credíveis, como relatórios do Senado norteamericano, sentenças de tribunais superiores ingleses, relatórios do Fundo Monetário Internacional e também de Organizações NãoGovernamentais bem implantadas no mundo, como a Amnistia Internacional, Corruption Watch UK ou Human Rights Watch.

Depois da investigação, percebi que há um padrão económicofinanceiro de actuação angolana repetido a propósito do enriquecimento das suas elites, dos movimentos financeiros e das joint ventures com os portugueses.

Percebi, também, que o regime angolano está numa fase de transição e que o leitmotiv essencial das elites actuais é enriquecerem depressa e colocaremse a salvo da transição. Daí a voracidade que acometeu muitos governantes angolanos. Mas, o regime é frágil e pode desmoronar de um dia para o outro.

O livro está dividido em três partes: na primeira, abordo o que conheci e, sobretudo, aprendi acerca de dinheiros e fluxos financeiros em Angola; na segunda, discorro sobre o poder real e os seus aspectos constitucionais e legais em Angola; na terceira, a mais pessoal, desenvolvo os fundamentos da criação e ‘angolanização’ da Universidade Independente em Angola.


 

 

Prólogo  9

Nota do Autor   19


Parte I - Dinheiro de Angola   21

Enriquecimento das elites: business plan   23

Fluxos financeiros   39

Novos empresários   45


Parte II

Poder em Angola   57

Por que Angola não está rica?   59

Um exemplo: Arkady Gaydamak   67

Enganos, democracia e liberdade   73

Ambiguidades e política externa   91

Dois caminhos possíveis ou o abismo   101


Parte III

Universidade Independente em Angola   105

Primeira viagem   107

Ministro e o “grupo angolano”   113

Dinheiro triangulado   115

Apropriação de bens públicos   121

Epílogo trágico   127

Acção afirmativa: os alunos da Universidade Independente

de Lisboa em Angola   123

BIBLIOGRAFIA   127

ÍNDICE ONOMÁSTICO   139


ANEXOS   143


 

 

Rui Verde

 

Rui Verde nasceu em 1966. É doutorado em Direito (Ph.D.) pela Universidade de Newcastle, Inglaterra, onde deu aulas.

Durante muitos anos foi professor de Direito e dirigente de universidades em Portugal, Angola e Brasil. Escreveu vários livros sobre filosofia do direito, emergência do poder judicial, Angola e assuntos político-judiciais. Em Angola, foi um dos fundadores da Universidade Independente, de que foi formalmente vice-Presidente entre 2004-2006.

Consultor Jurídico do MakaAngola, entidade angolana de defesa dos direitos humanos, democracia e contra a corrupção dirigida por Rafael Marques.

Exerce actividade académica em Inglaterra, e faz parte do grupo de trabalho fechado conjunto promovido pela Universidade de Oxford e da LSE que estuda as novas orientações da investigação científica referentes à política em África.

Comentador de assuntos africanos para a Deutsche Welle.

Consultor internacional trabalhando com instituições norte-americanas e britânicas.

Tem vários livros publicados, entre os quais se destacam:

“O Processo 95 385. Como Sócrates e o Poder Político destruíram uma universidade”, Leya, 2011.

“Helicópteros com Dinheiro. Sair do Euro, da Crise e Mudar o Estado” Chiado Editora, 2012.

“Angola e Dinheiro” RCP Edições, 2013 (4 edições).

“Os Juízes: O Novo Poder”, RCP Edições,2015

“Os Três Magníficos. Sócrates, Lula e José Eduardo dos Santos. Vidas e Negócios Paralelos” RCP Edições,2016.


 
 
Todos os preços são em Euros (€) e incluem IVA à taxa em vigor
Copyright @ 2008-2019, RCP Edições - Todos os direitos reservados - Desenvolvido por PT_webSite